Blog da Roberta Malta

18/06/2010

A mesa de Jum Nakao

"Convido vocês para um passeio num mundo fantástico, onde tudo é encantado." Foi assim que o estilista Jum Nakao chamou sua equipe à mesa. Depois de uma semana de performance na SPFW, a ordem era confraternizar. Para isso, reuniu no hortifruti Quitanda a turma que, durante 124 dias, trabalhou para vestir o bar abandonado da Bienal com retalhos de morim, ação de sua instalação Vestígios Vestíveis (veja mais aqui), e preparou a refeição temática.


Piquenique no bosque: pão de frutas secas e castanhas coberto por Gruyère e salada verde


Mergulho no mar: risoto de camarão com legumes na folha de mostarda


A descoberta da natureza: massas com abóbora; espinafre e bacon; chocolate com gorgonzola


De volta pra casa: creme de Porto com praliné de amêndoas e figo assado


Tudo, tudo (até o pão!) preparado por ele, criado no dia e adaptado aos ingredientes "locais" -- (es)colhidos nas gôndolas do mercado.

Nem sei direito como parei neste jantar, mas adorei a cozinha caseira-chique do Jum. Um sabor que, para mim, estava meio adormecido. De comida elaborada que não é de chef, sabe? Em que vale mais a descoberta do que a precisão. Delícia.


O cozinheiro em sua despensa


Por Roberta Malta às 04h25

15/06/2010

Como se comportar nos jogos do Brasil

Nunca soube como agir em Copas do Mundo. Não entendo nem gosto de futebol e, para mim, está tudo bem. Para os outros, não.

Acontece que, nestas épocas, o fenômeno social do futebol toma conta da vida das pessoas de um jeito que se, nas datas dos jogos do Brasil, você não passar o dia de amarelo, vai parecer alguém muito estranho. A pressão é enorme e muitos se sentem inseguros em não corresponder à expectativa geral. Já vivi isso algumas vezes, sei bem do que estou falando.

Mas, afinal, como se comportar nestas ocasiões?

Se você não tem um grupo (fixo, porque do contrário pode dar azar) para vibrar a seu lado, deve ser a pessoa mais solitária do mundo, coitada. O jeito, então, é se enturmar com uma moçadinha que não via há, pelo menos, quatro anos e se divertir pacas. Vai-ser-maneiro-cara.

E durante o jogo como faz?

Ficar quieto não é uma opção, todo mundo repara. Sono ou dor de cabeça até valem como desculpa, mas só se o Brasil for eliminado logo. Sim, porque no terceiro encontro o pessoal vai perceber a mentirinha e achar você, no mínimo, esquisito -- "será que ele (a) não gosta de futebol", se perguntarão confusos durante o intervalo. Uma barra.

Fingir que está amando tudo e soltar grunhidos em "u" também deve ser evitado. O grito do constrangido sempre soa falso. O negócio é comemorar em uníssono, na cola da galera. Acredite, não tem erro. 

Aproveite o momento do gol para se soltar. Aqui, vale tudo: pular, arrancar os cabelos, abraçar o sujeito que você detesta ou acabou de conhecer. Se quiser beijar alguém, a hora é essa. O importante é expressar sua emoção, faça isto do seu jeito. Se estiver angustiado, com problemas em casa ou em dificuldade financeira, concentre-se nisso e aproveite a deixa para chorar um pouco. Lágrimas são especialmente bem-vindas em ocasiões de comoção nacional.

Falar mal da escalação pega bem, sempre. Dizer que o maior craque da seleção não está jogando nada também é bola dentro (opa!).

Agora, se você quiser mostrar que, além de nascido no futebol, é observador, espirituoso e ligado às tendências da moda, comente a roupa do Dunga (o atual técnico da seleção brasileira, dá uma googada que você vai achar um monte de coisas sobre ele). Pode dizer que é ridícula, horrorosa, igual a do seu cunhado, o quê quiser. Basta indicar que reparou no estilo do treinador (Dunga, ele se chama Dunga).

Em síntese, o principal é relaxar e tentar curtir a esperada temporada de futebol quadrianual. Pode ser uma boa oportunidade de alguma coisa, aproveite.

Por fim, se tudo der errado, ainda assim não se preocupe: quem gosta e entende do esporte nunca estará no seu grupão. Ele prefere ver o jogo sozinho.

Vai Brasil!!

 

 

 

Gelatina verde e amarela

1 Faça um pacote de gelatina amarela (de abacaxi ou maracujá) conforme as instruções da embalagem. 2 Despeje no recipiente em que for servir, sem encher. 3 Deixe na geladeira até endurecer completamente. 4 Reserve. 5 Faça um pacote de gelatina verde (sabor limão) conforme as instruções da embalagem. 5 Preenche os potes que estão com gelatina amarela. 6 Leve à geladeira.

 

Por Roberta Malta às 16h22

14/06/2010

Petiscos mineiros

Duas semanas atrás estive no Sabor e Saber -- evento de gastronomia mineiro, já em sua terceira edição. A viagem foi curta, mas vai ser impossível falar dela num post só. 

Quero começar pela minha ignorância, que se apresentou tão logo começou a programação.

Cheguei para o jantar do Ramón Caso (chef espanhol do Altair, restaurante na Extremadura uma estrela Michelin), em Inhotim -- que vem a ser o lugar mais sensacional que já conheci -- e, de cara, a primeira surpresa: o bufê Bouquet Garni.

Já na entrada recebemos patezinhos em embalagens farmacêuticas com a assinatura da casa de festas. Tapenades e cremes de aspargos verdes, tomate seco e chocolate com azeite e manjericão vinham dentro de tubinhos de pomada para serem degustados com pão e cavas. Demais!

O coquetel começou e me deliciei com brandade de bacalhau com sagu e trufas de foie gras.

 

Ah, as trufas de foie gras...

 

Sabe o casamento pefeito? Tipo goiabada com queijo, jabá com jerimum, arroz com feijão? Pois é. Outros desfilaram por lá.

 

Salmão com aspargo

 

Porco com quiabo

 

Burrata  com tomate

 

Eu estava sozinha e logo perguntei a um garçom quem tinha feito aquilo tudo. O Bouquet Garni, segundo me disseram, é responsável pelas festas mais legais da cidade e eu não conseguia parar de me culpar por não conhecê-lo.

Foi daí que pensei sobre o quanto a gente (eu!) é bacana e viajado e não sabe direito o que se passa bem ali, no Estado vizinho.

Na mesma hora liguei para o Kats e a Ale, que também estivaram lá há pouco, e combinei nossa próxima viagem. Roses, Nova Iorque, Buenos Aires continuam de pé, mas antes a gente vai junto para Belo Horizonte.

 

Por Roberta Malta às 04h02

Ir para UOL - Receitas

Sobre o autor

Roberta Malta é jornalista de gastronomia e blogueira por vocação. Escreve nas revistas Prazeres da Mesa, Casa & Comida e algumas outras sempre sobre ingredientes, bebidas, restaurantes. Formou-se em gastronomia, estudou vinhos na ABS- SP, mas está em constante aprendizado e pretende dividir suas descobertas e dúvidas com todos que acessarem seu link.

Sobre o blog

O "Sopa de Letrinhas" é um observador bem humorado da gastronomia, com pitadas do dia-a-dia da autora. Serve também como agregador e mixer de pessoas. Tem um olhar empolgado, emocionado, frio, crítico, curioso sobre comidas, bebidas, novidades, livros, restaurantes ou um pouco de tudo. Divirta-se!

Histórico

© 1996-2009 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.
Hospedagem: UOL Host