Blog da Roberta Malta

11/12/2009

Alcobaça, Carlota e mais

Eu comecei a ler A cozinha da Alcobaça no dia do apagão. Comecei e acabei. Sabe aqueles livros que a gente não consegue largar antes do fim e fica triste quando termina? Pois é. Com o da Laura Góes foi exatamente assim. E eu li de vela, com o resto do país no escuro.

 

 

Foi muito bom, romântico. Bem o clima das histórias do livro. Além de deliciosas, elas têm aquela leitura fácil, redonda.

A ex-dona de escola (ela fundou o Palmares e o Gávea), hoje com 78 anos, comanda uma pousada em Corrêas, pertinho de Petrópolis, no Rio, a Alcobaça. Logo nos primeiros capítulos, quando ela fala sobre a sua ideia de requinte, senti grande afinidade com a simpática senhora.

Ela diz que o único requisito que exige de um candidato a uma vaga em sua cozinha é que ele faça arroz soltinho. Sim, porque o resto é só ensinar. Ó, que lindo!

E que tenta alinhar o vocabulário da equipe, mas mantém as singularidades de cada um. Falar janta, por exemplo, é proibido por lá.

São praticamente as regras da minha casa!!

Segunda promessa 2010: visitar a pousada da Alcobaça e provar a feijoada, o suflê de queijo, o pudim de leite de nome Custódio, o bolo de canela.

(Eu bem podia ser uma Julie Powell brasileira e fazer as receitas do livro da Dona Laura em uma semana...)

Antes de ler o livro, tinha conhecido a Dona Laura num jantar que ela fez com a Carla Pernambuco, no Studio 768. Teve pato com laranja, batata bolinha, legumes da horta da pousada. E o melhor patê do mundo, de fígado de pato com geléia de amoras. Riq Freire também foi. Delícia!

A Cozinha da Alcobaça é da editora Terceiro Nome, que, aliás, está fazendo bons títulos de gastronomia. Esses dias, folheei o Vinhos no Mar Azul, com viagens enogastronômicas do José Guilherme Ferreira, e me deu vontade de ler. Senac SP que se cuide!

 

 

 

Bons programas e, de quebra, bons presentes de Natal. Eu ia amar ganhar um desses.

 

Por Roberta Malta às 17h57

10/12/2009

Petiscos na cozinha

Acabei de chegar do Na Cozinha. Fui provar o bolinho de feijoada que entrou hoje no cardápio.

 

 

É simplesmente um creme de feijão preto recheado com couve, carne seca desfiada e empanado na farinha de mandioca. Morri.

Aproveitei a viagem para comer o bolinho de bobó, que amo.

 

 

Casquinha crocante com recheio quente de bobó de camarão. Praticamente um petit gateau salgado -- e bom!! A versão de chocolate, confesso, não faz muito a minha cabeça.

Boas companhias e só. Não preciso mais que isso para ser feliz!

Na Cozinha

Rua Haddock Lobo, 955, Cerqueira César, São Paulo, SP.

tel. 11 3063-5377

Por Roberta Malta às 01h07

08/12/2009

Alguns pratos do ano

Acabo de descobrir que meu ano tem 11 meses. Sim, porque passo dezembro fazendo retrospectivas, balanços.

Outro dia, o Castilho me falou que o jantar dele não sei aonde foi o melhor de 2009. Aí, parei pra pensar qual foi o meu jantar do ano. Difícil escolher, mas, de lambuja, posso falar, com segurança, de três.

Em ordem cronológica:

O do Dos Cielos. Adoro o Sergio e o Javier Torres e, em agosto, fui a Barcelona e fiquei hospedada no hotel onde está o restaurante deles. Nem quis saber o que ia comer, deixei tudo por conta dos gêmeos de ouro.

 

 

Esse cabrito estava qualquer coisa de bom. Aliás, o menu inteiro. Foi a primeira refeição que fiz na cidade. Nem precisa dizer que o resto da viagem foi perfeito, né?

O cardápio com caviar beluga do eñe também merece aplausos. De pé.

 

 

Este era um creme de couve-flor i-na-cre-di-tá-vel! Conheci o restaurante na semana da inauguração e acho que está cada vez melhor. O Flávio Miyamura é uma coisa! Super dedicado, talentoso, preparado. Além de educado e gentil, que nem precisava. Foi, sem dúvida, um dos pontos altos do ano.

Outro foi no Arola-Vintetres, do catalão-dois-estrelas-Michelin Sergi Arola, onde me matei de comer tapas. Depois, provei esta carne.

 

 

Com cebolas glaceadas e creme de cogumelos. Cafona dizer, mas derretia na boca. Incrível! Como tudo que provei por lá.

Taí. Quem quiser fazer uma refeição inesquecível antes de terminar o ano, minhas modestas sugestões.

Dos Cielos

ME BARCELONA
PERE IV, 272 286. 08005 BARCELONA, SPAIN
Email: mebarcelona@solmelia.com
RESERVATIONS 866-43-MELIA

eñe

Rua Mário Ferraz, 213, Itaim Bibi, São Paulo, SP.
tel. 11 3816-4333

Arola-Vintetres

Al. Santos, 1437, 23o. andar, Cerqueira César, São Paulo, SP.

tel. 11 3146-5900

Por Roberta Malta às 19h30

07/12/2009

Mesa tailandesa ou minha viagem no tempo

Fui à Tailândia com menos de 20 anos, a Bangkok. Naquela época ainda era bem chata para comer e, pensando agora, acho que meu repertório começou a aumentar nessa viagem. Sim, porque depois fui à China e não tinha muita escolha a não ser provar o que vinha à mesa, sem fazer idéia do que era.

Eu morria de medo de comer cérebro de macaco desavisadamente. Hoje, ainda não me aventuro na cabeça de bode que faz tanto sucesso em Recife, mas também não me espanto com a procura do prato.

Foi em Bangkok que comi lichia pela primeira vez.

 


 

Lembro que fiquei encantada com o formato da fruta, a maneira como a casca se descolava da parte comestível, a textura parecida com jujuba, o sabor peculiar, doce e ácido ao mesmo tempo. Achava impressionante aquilo ser natural, ó que boba.

Depois disso, comi pouca comida tailandesa. Só no Rio e em Búzios, no Sawasdee, que eu adoro. Outro dia, fui ao Ban Kao, aqui em São Paulo, e também gostei bastante.

O restaurante é uma fusão do Nam Thai com o Asia. O cardápio, bem grande, traz opções de sushi e combinados interessantes. Pedi logo o Bangkok Festival (R$ 30) para fazer minha viagem no tempo.

 

bolinho de peixe com pimenta e castanha, espetinho de frango com molho de amendoim e gravalax (vinha também trouxinha de frango)

 

Depois, uma saladinha de camarão (R$ 22) porque já estava bem satisfeita.

 


com manga, papaia e hortelã -- um dos maiores sucessos do Nam Thai

 

E a degustação de sobremesas, que não deu para pular. Com exceção da de chocolate, gostei de todas. Mas achei incrível mesmo foi essa abóbora com creme de coco (R$ 14).

 


com calda de caramelo, coco queimado e carambola

 

A casa tem também diversos tipos de arroz. De jasmim, coco, curry. Bem mais soltinho do que fazem por aí, uma delícia.

Vou voltar sempre que quiser me sentir novinha de novo. Acho que todo os dias!

Ban Kao

Rua Manoel Guedes, 444, Itaim Bibi, São Paulo, SP.

tel. 11 3168-0662

Por Roberta Malta às 15h44

Ir para UOL - Receitas

Sobre o autor

Roberta Malta é jornalista de gastronomia e blogueira por vocação. Escreve nas revistas Prazeres da Mesa, Casa & Comida e algumas outras sempre sobre ingredientes, bebidas, restaurantes. Formou-se em gastronomia, estudou vinhos na ABS- SP, mas está em constante aprendizado e pretende dividir suas descobertas e dúvidas com todos que acessarem seu link.

Sobre o blog

O "Sopa de Letrinhas" é um observador bem humorado da gastronomia, com pitadas do dia-a-dia da autora. Serve também como agregador e mixer de pessoas. Tem um olhar empolgado, emocionado, frio, crítico, curioso sobre comidas, bebidas, novidades, livros, restaurantes ou um pouco de tudo. Divirta-se!

Histórico

© 1996-2009 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.
Hospedagem: UOL Host